terça-feira, 6 de setembro de 2011

Avelino Elias de Queiroga, 16 de abril de 1920 a 22 de Fevereiro de1975

          De tradicional família sertaneja, proprietária de grandes extensões de terras no interior paraibano, entre Sousa e Pombal, nasceu na cidade Sousa.
Era filho Vicente Marques e Olivia Elias de Queiroga, neto de Ana Maria
Queiroga e de André Avelino de Queiroga e bisneto do Dr. Benedito Marques da Silva Acauã, Presidente da Câmara em 1870. Viveu sua infância na Fazenda Nova Acauã, arredores da hoje cidade de São Domingos de Pombal, em uma “Casa Grande” construção do inicio do século XIX, com suas 21 janelas, na fazenda do seu bisavô, o Dr. Benedito Marques da Silva Acauã. Dr. Avelino era irmão do Desembargador Dr. Antônio Elias de Queiroga.
Casou-se no dia 15 de dezembro de 1949 com Maria Adeildes Cavalcanti de Queiroga(nascida em 25 de maio de 1923), perante o 1º Suplente de Juiz, João Trigueiro da Rocha, e teve como testemunhas o Dr chateuaubriand de Sousa Arnaud e Dalva Carneiro Arnoud. Desta união nasceram: Maria Auxiliadora, Avelino Elias de Queiroga Filho (Avelininho, ex-vereador em Pombal) e Fátima Cavalcanti.
Uma curiosidade a respeito de Dr. Avelino e que poucos tem conhecimento, é que ele apesar de ter um lundum, nunca demonstrou este lado em seu lar, era um pai amoroso, não dormia sem antes beijar os três filhos, e mesmo já crescidos os colocava no colo e beija(fez até quando Dôdora estava de barrigão de sua primeira filha, Fabiana, que não chegou a conhecer o avô), e ainda que era ex-combatente. A sua convocação aconteceu de forma inusitada, quando ainda, estudante de Medicina em Recife, logo no inicio da Segunda Guerra Mundial, estava ele assistindo um filme no Cinema Art-Palácio, quando foi interrompida a exibição e no palco entrou uma tropa do exercito brasileiro, onde o comandante passou a fazer a convocação dos jovens para integrar o exercito, justamente para atuarem na guerra. Para sua surpresa, entre os nomes relacionados estava o seu. Atendendo a convocação, destacou em Pindamonhangaba e por ser estudante de medicina ficou justamente numa base da área médica.
O renomado e competente médico Dr. Avelino Elias de Queiroga, ex-prefeito de Pombal e ex-deputado estadual  – O Bolinha, formou-se em Recife em Dezembro de 1948 na Universidade Federal do Pernambuco-UFPE. Antes, ele estudou em Sousa e em Mossoró. Dedicou a sua profissão e os seus conhecimentos ao povo carente de Pombal.
Era amado pelas famílias mais pobres, devido a nada cobrar pelos seus serviços médicos que prestava, fazendo questão de atender em domicilio nas mais longínquas localidades.  Consultava e aviava receitas fosse onde fosse abordado pelos seus pacientes. Era comum, em plena feira livre de Pombal, ser procurado por senhoras que se queixavam das suas enfermidades, e ali mesmo eram examinadas e diagnosticadas. Se fosse o caso de outros procedimentos, marcava o dia e a hora no Hospital Sinhá Carneiro( foi diretor cirúrgico  nesta casa de saúde). Era o médico das famílias pobres de Pombal.
Na época das cheias do Rio Piancó, de calças arregaçadas ao meio da canela, saia de casa em casa consultando e medicando os menos afortunados, dando-lhes a esperanças de melhores dias. O seu fiel ajudante era o José Cândido, mais conhecido como “Zé Enfermeiro”, competente enfermeiro da cidade, que nos anos 60 e 70, gozava de tamanha confiança da população, que chegava confundi-lo com um médico.
Soube por Dôdora, sua filha, que certa vez para realizar um parto em uma casa de taipa a noite, teve de derrubar parede da sala onde estava a mulher, com auxilio de populares e realizou o parto sob os farois do jipe que o conduziu ao local da urgência.
Era comum Dr. Avelino ser convidado por seus pacientes e correligionários para apadrinhar crianças, para o que nunca dizia não.
 Nos grandes comícios das ruas de Pombal ele era aclamado pelo o povo, sempre os mais humildes, que eram apelidados de "Ala das Frasqueiras". (Os correligionários da Família Carneiro eram chamados pelas “Frasqueiras” de “Ala das Garças” por ser formada por pessoas de peles brancas enquanto que “As Frasqueiras” eram negras, senão na cor da pele, muito mais pelo poder aquisitivo e posição social).
Eram nessas campanhas que se cantavam pelas ruas machinhas provocativas do tipo:

“Acorda Dr. Azuil,
Levanta chama Hildo Arnaud
Chama também Dr. Raphael
E se possível Dr. Chatô

A Ala Garça já está chorando
Cheia de mágoa e de dor
Com raiva de Avelino
Que tem voto e tem valor.

Tanto retrato, porém sem valor
Tanto dinheiro, mas não ganhou
Dr. Avelino, tão pobrezinho
E sem trair foi o vencedor.”

Nos carnavais, era com esse povo pobre que ele se juntava nas brincadeiras de rua, como se fora um deles.
Dr. Avelino foi professor na antiga Escola Normal Arruda Câmara, Ginásio e Colégio Diocesano de Pombal. Participou da 1º Vaquejada no terreno onde hoje esta situada a Escola Estadual Arruda Câmara, organizada pelo então prefeito Dr. Azuil. Antigamente votava-se escolhendo prefeito e vice separadamente, ele mesmo sendo o vice tirou mais votos que o saudoso Dr. Azuil que estava na cabeça da chapa.
A boa reputação e o exemplo humanitário de Dr. Avelino ainda hoje habitam o imaginário do nosso povo, que já o homenageou das mais diversas formas, dando seu nome a ruas, Escola Municipal, Ginásios Esportivos, institutos (IDAG) e equipes de Saúde da Família. Na cidade de Cabedelo, um condomínio residencial adotou também o seu nome.
Foi eleito Deputado Estadual em 1962 pelo PSD concorrendo com o N° 92004 obteve 3.608 votos, ficando na suplência o Dr Atêncio Bezerra Wanderley. Concorreu a prefeitura de Pombal nas eleições de 11 de agosto de 1963, e a música de sua campanha era animada por Lessi(In memória), antigo fucionário da Saelpa, ao som de sua sanfona e de um pandeiro, e dizia assim:

                                    “De sapato ou sem sapato
                                De chinela ou pé no chão
                                De gaivota ou bicicleta
                                De lâmbreta ou caminhão


           Eu vou, eu vou, eu vou de qualquer jeito
          Vota em Avelino para ser nosso prefeito
          Isso vai dar certo
          Essa animação
          Eu voto em Avelino prá nossa união! ”

Foi eleito pelo PSD 1, para o período de 1964 a 1968 sua posse coincidiu com grandes passeatas em Pombal em apoio a recém decretada “Revolução” de 1964.

Em sua administração foi construída a Praça dos Pereiros, (a primeira até hoje única praça construída em um bairro pobre da cidade), fez o calçamento de várias ruas, e a primeira restauração no Açougue Público da cidade, que se encontrava em ruínas, mantendo suas linhas arquitetônicas originais.
Dr. Avelino concorreu mais uma vez a Prefeitura de Pombal nas eleições de 1973, pelo MDB 1, sendo eleito naquele pleito o então deputado estadual Francisco Pereira Vieira e o Hildo de Assis Arnaud que assumiu três meses depois com a renuncia do titular.
Sentindo-se traído pelas lideranças política da cidade, Dr. Avelino escrevia ali o ultimo capitulo da sua história nas ruas de Pombal, deixando a cidade em 1972, a calada da noite, e foi morar na cidade de Terra Boa – PR. Como deixou muitas dividas por aqui, enviava todos os meses certa quantia para que seu irmão Toinho, fosse quitando-as junto aos seus credores. Montou um hospital na cidade de Jussara-PR, a quem deu o nome de "Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, mas foi obrigado a vender, pois o hospital estava entrando no vermelho, ele repetiu lá o que gostava de fazer na velha Pombal: muita caridade para com os pobres! Pelo desapego as coisas materiais, na boca de muitos era um homem muito bom e prestativo!  ”.
 Dr. Avelino Elias de Queiroga, estava de plantão tirando as férias de um amigo em São Tomé-PR quando nos deixou, aos 55 anos de idade, vitima de um infarto fulminante. Curioso ou não, este homem de bom coração que dedicou toda a sua vida a ajudar literalmente aos outros também precisou da ajuda do seu povo para poder ser transladado a Pombal-PB, e ser sepultado! Seus bens gastou em vida (o único bem que restara, deixou empenhada no banco: a fazenda Córrego, bem de família), ou melhor em prol das vidas de muitos que ajudou. O sepultamento até hoje, não se tem noticias de um outro funeral na cidade, tão prestigiado pelo povo quanto o seu.
            Ao Dr. Avelino de Assis, o nosso muito obrigado, obrigado por sua bondade , doação,  honra  e prontidão no serviço da medicina, desapegando-se dos bens e repartindo o que tinha com os menos favorecidos que batiam a sua porta!  Quem dera hoje houvessem outros Avelinos de Assis, não vivestes em Assis, mas de Sousa fizestes o bem aqui na nossa Pombal! Que Deus o recompense na sua Gloria Celestial.

             Texto: Jerdivan Nóbrega de Araújo com contribuições de Paulo Sérgio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário