domingo, 23 de outubro de 2011

Severino Figueiredo da Silva (Biu da Serraria), 27 de abril de 1937 a 12 março de 1998.

 Seu Biu era natural do sítio Várzea dos Cavalos em Jericó, na época distrito do município de Pombal. Filho 2 º, do casal Eurípedes Figueiredo e dona Guiomar Pereira da Silva, numa prole de 03 filho,  José (Zé Pereira), Severino(Biu), e  Francisco(Galego, in memória, partiu vítima de enfarto). Ainda criança, Biu perdeu sua mãe, durante o parto do 3º filho(Galego), e 4 anos depois seu pai foi morar em João Pessoa, capital do Estado, por lá contraiu febre amarela e não resistiu, foi sepultado por lá. Seu Biu e os dois irmãos permaneceram em Jericó sob tutela dos seus avós paternos, seu Joaquim Pereira (Quinca Pereira) e Mãeíca, como era chamada.
Biu aprendeu o alfabeto em casa, passou poucos dias no aprendizado, por este motivo era considerado semi-analfabeto, pois sabia apenas assinar seu nome, e dominava muito bem a matemática com suas operações.
Homem simples e de coração grandioso, desde jovem sempre foi muito batalhador, seu carisma era indescritível, sua facilidade de fazer amigos o tornou muito conhecido e querido na cidade. Gostava de desenhar casas e arquitetar seus projetos sem nem ao menos ter cursado uma faculdade de arquitetura, ela aprendera a arte da carpintaria.
Em 1956, casou com Francisca de Sousa Silva (Dona Chiquinha) com quem viveu 42 anos. Juntos enfrentaram muitas dificuldades, mas conseguiram criar seus filhos, ele exercendo a profissão de carpinteiro e ela no lar.
Seu Biu da Serraria, em 1967 escolheu Pombal-PB para construir seu lar, iniciou o seu trabalho e zelou por carpintaria, que foi sua paixão até o dia de sua morte, pois adquiriu com seu trabalho, os seus bens, no meio destes, alguns imóveis alugados. A sua morada foi erguida próximo a Escola Mons. Vicente Freitas(antigo prédio do Colégio do Diocesano de Pe. Vicente e Cônego Luís Gualberto, vulgo, colégio Polivalente), e sua viúva permanece nesta casa, a qual era sempre cheia de amigos. Todos os dias seu lar recebia visitas, sempre repleto de alegria, fartura e comemorações.
            Ele confeccionava móveis para os diversos lares, cancelas para as propriedades e mesas da madeira bruta, com duração ilimitada (pois desde sua chegada por aqui algumas pessoas ainda possuem móveis fabricados por Biu da serraria). Construiu o seu prédio com suas próprias mãos, auxiliado por alguns amigos. Quando chegaram em Pombal, eles já tinham filhos, e Deusiene (In memória, sua filha caçula na época, partiu aos 5 anos de idade com problemas cardíacos).
No dia 01/01/1978 nasceu sua 10ª filha, mas no dia 08/01/1978 sua primogênita Cleunice, partia para a eternidade, durante uma cirurgia, na qual ela estava para dar a luz a duas crianças, que viriam a ser as primeiras netas de Biu e Chiquinha. Seria, isso porque, infelizmente nenhuma das duas sobreviveu. Para o casal veio 05 anos depois a caçula, Fernanda agora somando 09 filhos:  Zezinho, Doda, Nenêm, Nêgo (seu sucessor nos negócios), Diene, Aninha, Nega, Cleusidene e Fernanda Karla, todos educados com muito amor e dedicação sem falar nos netos e bisnetos.
Uma particularidade de Biu é o fato de que todos os domingos ele saia para pescar com os amigos e familiares, e quando a pesca era boa, dividia os peixes com toda a vizinhança. Já no Natal, os aniversários dos familiares e amigos era motivo de festa ele tinha carisma.
Uma das qualidades que possuia, era ser caridoso com as crianças. Qualquer criança que se aproximasse dele, já recebia brindes como um pão e/ou dinheiro, além de ajudar muito aos carentes. Por este motivo tantas famílias o tomaram por padrinho para os seus filhos.
Vítima do diabetes parou de trabalhar em meados de 1997, e após uma parada cardíaca, teve sua vida ceifada, sem espaço para despedidas.
A Severino (Biu da Serraria), o meu muito obrigado! A sua dedicação e empenho na arte que que te foi concedida, e a atenção dada na transformação da madeira, deu a peças simples um valor sentimental, aquecido nas famílias que as usufruíam, nesta Pombal ou em outras praças. Que Deus te dê a recompensa e também a paz.

Texto, Fernanda Karla Sousa Figueredo com contribuições de Paulo Sérgio.

6 comentários:

  1. Não o conheci pessoalmente mais sou muito amigo da família e posso dizer sou (Amigo/Irmão) de sua filha caçula (Frenanda Karla) com isso posso afirmar que Seu Biu foi um homem de carater e imenso coração, Parabéns pela homenagem a este homem merecedor de nosso amor e nossas lembranças.

    Abraço

    Ney Robson

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito feliz pelo convite do meu amigo Paulo para publicar neste blog a história do meu querido pai Seu Biu, e ainda mais feliz estou, pois meus amigos também enviam as suas mensagens de carinho.
    Agradeço a todos!

    ResponderExcluir
  3. Acho que Seu eu Biu mereceu esta homenagem, parabéns aos filhos.helensuzy.

    ResponderExcluir
  4. Fê muito bonita sua historia, me emocionei também.
    Parabéns pelos seus princípios, e é uma pena seu Bio não esta aqui em nosso meio,mais tenho certeza que onde ele estiver se orgulha de você uma pessoa integra, vc passa em suas lives uma sinceridade transparente me orgulho de ser sua irmã em Cristo .
    PARABÉNS MINHA QUERIDA TE DESEJO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO MUITO MUITO SUCESSO BJS.

    ResponderExcluir
  5. Fê muito bonita sua historia, me emocionei também.
    Parabéns pelos seus princípios, e é uma pena seu Bio não esta aqui em nosso meio,mais tenho certeza que onde ele estiver se orgulha de você uma pessoa integra, vc passa em suas lives uma sinceridade transparente me orgulho de ser sua irmã em Cristo .
    PARABÉNS MINHA QUERIDA TE DESEJO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO MUITO MUITO SUCESSO BJS.

    ResponderExcluir